Depressão pós-parto

Algumas mulheres vivem sentimentos encontrados depois de dar à luz. A alegria de ser mãe se mistura com raiva, choro e até rejeição a seu parceiro ou ao bebê. Existem muitos fator é que provocam a depressão pós-parto, entre eles o súbito dos hormônios, a responsabilidade de cuidar do novo integrante da família e até a aparência física, são alguns deles.


Ter tido um parto difícil, uma gravidez perigoso e o abandono da família, são situações que provocam depressão. Outro fator que incide nesta doença, é a aparência física. Os quilos a mais, podem gerar tristeza. “Tornam-Se irritadiças, pode atrapalhar o sono e ter alterações na rotina alimentar”. Este tipo de depressão pode durar meses ou até anos, por isso você deve atender a tempo para evitar problemas na educação do pequeno.


Sintomas


Você pode estar sofrendo de depressão pós-parto se tiver os seguintes sintomas:



  • Tristeza persistente

  • Sentimentos de culpa

  • Ataques de pânico

  • Pensamentos suicidas

  • Sentir que nada é divertido

  • Falta de concentração

  • Ansiedade

  • Irritabilidade

  • Problemas para dormir

  • Cansaço extremo

  • Distúrbios em sua alimentação

  • Rejeição de seu bebê

Tratamento


Não afetar a amamentação é o principal objetivo na hora de lidar com este tipo de depressão. Os médicos recomendam medicamentos naturais e chás de ervas.


Subtrair a importância a esta doença pode chegar a afetar não só a saúde mental da mulher mas também do desenvolvimento do bebê.”É importante procurar ajuda, manifestar o que se sente e consultar de tempos em tempos, porque isso é que o tratamento seja mais fácil e eficaz”. Os remédios naturais e as infusões à base de camomila são os tratamentos que se recomendam para não afetar a amamentação.


Os especialistas também aconselham as mães se afastar do bebê durante alguns minutos, quando o ataque de uma crise depressiva.


Antes de tudo, é fundamental consultar sempre um especialista, que irá guiá-lo para o tratamento mais adequado de acordo com cada caso.


Como posso evitar?


A primeira coisa que você deve fazer é serenarte e tentar não pensar muito nos problemas ou no futuro do bebê. Só aproveite o seu filho recém-nascido e do seu tempo livre, tentando limitar o vôo de idéias e ocupándote também de ti. Descanse e tente não sobre o exigir. Quando você vê que não consegue, pede ajuda.


Também é importante que conversa muito com o seu parceiro sobre seus medos e preocupações, deixando claro o que acontece. Ele pode ajudá-lo e apoiá-lo, sempre e quando perceber que você confia nele. Façam planos juntos sobre o cuidado do bebê e conversando sobre quem é a pessoa indicada para ajudar em casa.


No entanto, às vezes a relação com o seu parceiro não está bem, nesse caso, recomendamos que procure o apoio de amigos e outras mães que se possa contar o que acontece. Relaxe, lembre-se que o estresse leva diretamente para a depressão. Alimente-se corretamente, e se você se sente muito ansiosa, recomendamos que assista a uma aula de ioga, meditação ou natação.

Gravidez

A rejeição é um dos sintomas da depressão, motivo pelo qual os médicos pedem para as famílias acompanhar a nova mãe nessa difícil fase. “Não apenas um bom acompanhamento do marido, da mãe, da família, das mulheres, das amigas; antes, que todos estejam pendentes da mulher que acabou de dar à luz”.


 

Depressão pós-parto
Rate this post